Ler Edição

EDITORIAL

Gabriela Prata Dias

Gabriela Prata Dias

Presidente da direção da ADENE

SCE e SEEP: uma mais-valia para a eficiência energética nos edifícios

O Anuário Imobiliário & Energético tem estabelecido as bases para criar um catálogo imobiliário cada vez mais completo, que para além de caraterizar a construção nova ou reabilitação, realça o desempenho energético. Este diagnóstico é relevante não só para conhecer qual o ponto de partida mas também como melhorar o parque imobiliário existente.

Após a entrada em vigor da nova legislação relativa ao Sistema de Certificação Energética dos Edifícios (SCE) e com a atualização do Certificado Energético, temos vindo a assistir a uma maior consciencialização, por parte dos diversos agentes de mercado e também dos consumidores, da importância do desempenho energético dos edifícios. No caso dos consumidores, observa-se uma maior familiarização com a classificação energética e no impacto que esta tem na fatura energética e no conforto. Neste contexto, as medidas de melhoria propostas nos certificados energéticos ganham um novo protagonismo sendo a chave para melhorar o nível de eficiência do imóvel.

Recentemente a ADENE – Agência para a Energia, realizou um estudo junto dos detentores do certificado energético para a habitação com o objetivo de identificar qual a percentagem que implementou algum tipo de medida de melhoria. Do total de inquiridos, 17.5% efetuou algum tipo de intervenção sendo que as mais solicitadas foram a mudança de janelas e a melhoria de isolamento térmico. As janelas são particularmente interessantes por poderem desempenhar um papel muito relevante nas condições de conforto térmico, acústico e de salubridade do ambiente interior dos edifícios, fatores facilmente percetíveis pelos consumidores.

E se neste caso o SCE é um ponto de partida, o Sistema de Etiquetagem Energética de Produtos (SEEP) deverá ser um ponto de chegada.

O SEEP é uma iniciativa que visa informar os consumidores sobre o desempenho energético de produtos que ainda não se encontram regulados pelas diretivas europeias de etiquetagem energética. As janelas e os elevadores são exemplo deste tipo de produtos, existindo ainda outros que estão a ser estudados de maneira a integrarem a plataforma SEEP, como é o caso das tintas, isolamentos e alvenarias.

O SEEP disponibiliza ao consumidor final informação útil sobre o desempenho energético, através de uma plataforma informática, permitindo que diversos produtos e soluções sejam comparáveis entre si. A gestão deste sistema é da responsabilidade da ADENE numa ação em parceria com os principais fabricantes, instaladores e associações do setor.

A iniciativa SEEP janelas é ímpar ao nível dos Estados-Membro da União Europeia, colocando Portugal na vanguarda da implementação de um conjunto de soluções e de informação ao grande público não especializado sobre eficiência energética de produtos associados aos edifícios.

Mais do que alargar o universo da rotulagem, esta iniciativa cria condições que permitem o apoio técnico à definição de políticas públicas de eficiência energética, apoio à definição de programas de financiamento, bem como à realização de campanhas de informação e ações de divulgação junto dos potenciais consumidores.

A ADENE enquanto entidade gestora de ambos os sistemas, tem destacado a importância da visão conjunta que vai desde as componentes à integração destas no edifício, permitindo assim avaliar o desempenho energético global do parque edificado em Portugal. Por trás do SCE e do SEEP vive assim a convicção de que estes sistemas poderão trazer mais conhecimento e potenciar a reabilitação urbana ou a inovação e dinamismo do setor, criando as condições necessárias para que as empresas portuguesas desenvolvam mais e melhores produtos, trabalhando para a eficiência e para a suficiência energética.

Por fim, destacaria a importância de incorporar este conhecimento na vertente imobiliária e na sua dinâmica, a qual, materializada no Anuário Imobiliário & Energético, permite aos agentes de mercado uma visão integrada da construção e do desempenho energético desta.