Ler Edição

Novembro 2017

Pressão da oferta sobre preços e rendas intensifica-se

• Acréscimo da procura suaviza-se

• Novas colocações em oferta continuam em queda

• Crescimento dos preços mantém-se firme

Ricardo Guimarães

Diretor da Ci

“Quase todos os mediadores que participam no inquérito têm a mesma preocupação: a escassez de casas está a limitar a atividade e a pressionar a subida dos preços. Isto verifica-se quer no mercado de compra e venda quer no mercado de arrendamento. Contudo, os últimos números da Confidencial Imobiliário apontam para um forte aumento do número de novos projetos residenciais em pipeline. Em termos homólogos verificou-se uma taxa de crescimento de 66% na região de Lisboa, com o aumento a situar-se nos 82% no Porto. As novas construções vão certamente beneficiar da pressão sobre os preços e ajudar a estabilizar o mercado.”

Simon Rubinsohn

Economista Sénior do RICS

“A economia Portuguesa manteve uma sólida recuperação nos últimos trimestres, parecendo que 2017 foi o ano que mais contribuiu para o maior crescimento da última década. As previsões para 2018 são igualmente positivas. Os fortes ganhos decorrentes do emprego acompanhados da reduzida inflação devem continuar a suportar os gastos dos consumidores e garantir que o cenário de fundo do mercado imobiliário permaneça favorável no futuro.”