Ler Edição

Abril 2018

Entrada de casas em oferta continua a descer

  • Novas colocações de casas para venda recuaram uma vez mais
  • Indicadores de procura e vendas mantêm-se positivos 
  • Expetativas de crescimento das rendas atingem máximo recorde

Ricardo Guimarães

Diretor da Ci

“Os preços de venda continuam a subir, respondendo à pressão da procura e falta de produto para venda. Isso tem impulsionado as expectativas de compradores e vendedores, viabilizando a recuperação generalizada de preços e cada vez mais fora dos centros históricos. Há ainda espaço para recuperação em muitas localizações onde os preços estão ainda abaixo dos níveis pré-crise, com subidas cada vez mais expressivas. No entanto os mediadores estão preocupados com os impactos que possa advir das eventuais alterações no quadro legal do arrendamento e alojamento local.”

Simon Rubinsohn

Economista Sénior do RICS

“Em linha com a média da zona Euro, o crescimento da economia portuguesa no início do ano foi mais moderado, abrandando de uma variação homóloga de 2,4% no final de 2017 para 2,1% neste 1º trimestre (a mais suave desde 2016). Ainda assim, este abrandamento fica a dever-se, em parte, a alguns fatores temporários, pelo que, mesmo que a expansão da economia possa não atingir o patamar do ano passado, 2018 parece reunir todas as condições para ter um bom desempenho económico. Este contexto deverá continuar a ser um importante impulsionador da procura de habitação.”