Ler Edição

EDITORIAL

Ricardo Guimarães

Ricardo Guimarães

Diretor da Ci

O novo SIR – Turismo Residencial promove confiança num mercado vocacionado para a atração de investimento internacional

Ao longo do último ano a Confidencial Imobiliário (Ci) levou a cabo o projeto piloto do que se espera venha a ser o novo Sistema de Estatísticas do Turismo Residencial. A falta de cobertura estatística deste segmento de mercado era uma lacuna óbvia na análise do mercado imobiliário nacional. 

No seu trajeto dos últimos anos, a Ci lançou o SIR – Sistema de Informação Residencial, vocacionado para a produção de indicadores de preços relativos ao mercado de habitação, tendo especial foco nas áreas metropolitanas e centros urbanos residenciais. Desde 2007 (na verdade desde 2005), o SIR afirma-se como a única fonte em Portugal sobre preços de venda efetivos. O SIR bebe informação nos principais agentes deste mercado, com destaque para as principais redes de mediação imobiliária, que reportam os dados de cada imóvel que têm em oferta ou que venderam.

Mais tarde, em 2011, tornou-se evidente a necessidade de acompanhar o mercado de arrendamento. Com o apoio do IHRU, foi possível lançar o SIR – Arrendamento (uma vez mais) a única base de dados nacional com rendas dos novos contratos celebrados, dotando os operadores de indicadores essenciais para compreender o mercado (mesmo o de compra e venda) e estimar rendibilidades. 

Em plena crise, em 2012, foi ainda possível lançar um novo sistema, o SIR – Desinvestimento Bancário, que serve a totalidade das principais instituições financeiras com estatísticas de preços relativas aos imóveis de recuperação de crédito. Novamente, o SIR foi ponto de encontro do mercado, agregando os dados de oferta e vendas reportados por tais instituições, de quem mereceu a confiança necessária.

Assim, foi com naturalidade que abraçamos este projeto, o novo SIR – Turismo Residencial. Sempre nos foi evidente que falar na média de Almancil era o mesmo que “acertar na Nacional 125”, misturando mercados contíguos mas profundamente distintos. É essencial falar de Almancil. Mas é determinante para um setor que tem características únicas, por ser orientado para o uso turístico e vocacionado para a atração de investimento internacional, que o mesmo seja alvo de estatísticas próprias, contribuindo de forma decisiva para promover a confiança dos investidores. 

Cabe agora aos operadores impulsionarem esta iniciativa, participando.